© 2013 Publicações ocasionais com vistas à edificação do povo de Deus. Artigos na maioria traduzidos e usados com permissão, ou em domínio público.

CELEBRANDO A CEIA DO SENHOR

06.01.2019

     Nos ÚLTIMOS DIAS DA IGREJA, antevéspera do ARREBATAMENTO, anunciar a Palavra de Deus, com certeza, sofre forte resistência. Nessa ação, grandes desafios ou reações negativas são sentidos pela IGREJA VERDADEIRA, aquela onde dois ou três estão reunidos em nome de Jesus. Mas em CRISTO JESUS somos mais do que vencedores. 

     Desde o PENTECOSTE, a Igreja Primitiva pedia que o Senhor desse aos seus membros a capacitação adequada e a coragem para anunciar fielmente a Palavra. Assim, em todas as circunstâncias, a Igreja nestes seus últimos dias é ainda mais fortemente dependente dessa capacitação, pois, somente através dela é que seus membros passam a estar vitalmente relacionados com CRISTO:

     “Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós”. João 17:20 “Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que tu me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim”. João 17:21-23 

     Esta unidade incomparável, que até então só existia entre o Pai e o Filho, foi assim estendida aos crentes da Igreja Verdadeira. Aprofundemo-nos nessa unidade incomparável, ou seja, nas Riquezas da Graça, para crescimento no conhecimento da Palavra da Verdade, crescimento esse que, alcançado sob a direção do Espírito Santo, é preparatório para o testemunho divinamente exigido ao coração de cada crente a respeito da sua confiança na morte eficaz de CRISTO.

       A ênfase desse testemunho do crente, especialmente na celebração da CEIA DO SENHOR, está no memorial - "todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice" - do seu sacrifício na cruz, morte e ressurreição,  - "até que Ele venha" - que foi dado como ordenança aos discípulos, que no Pentecostes seriam introduzidos na Igreja, para testemunho da sua fé na obra terminada pelo nosso Salvador na cruz e na aplicação da mesma àqueles que viriam a crer.         

     Sobre a obra terminada do Senhor Jesus na cruz, em Apocalipse 13:8 está escrito que Ele é o "Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo". e quanto sua aplicação aos salvos, é dito em Efésios 1:4 "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fossemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor".

    A estes dois fatores, a Bíblia também revela um terceiro aspecto do propósito eterno, a saber, que as boas obras dos salvos também são preordenadas, "Porque somos feitura sua, criados  em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas". Efésios 2:10

     Um Salvador preordenado, uma salvação preordenada e um serviço preordenado são os elementos essenciais nos conselhos eternos de Deus a respeito da Igreja, que é o corpo de Cristo, da mesma forma que o altar judaico apresentava a morte de Cristo até que Ele viesse pela primeira vez.

Please reload

Destaque

CONSULTANDO JESUS

23.08.2017

1/10
Please reload

Tags